JI-PARANÁ: SECRETARIA REALIZA REFORÇO DE COMBATE ÀS HEPATITES VIRAIS

Postada em 09 julho 2024, 20:25:00

A Prefeitura de Ji-Paraná, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), está realizando a campanha de combate às hepatites virais. Regulamentado pela Lei Estadual nº 3.766, de março de 2016, o Julho Amarelo é o mês de prevenção e combate às hepatites virais, tendo o dia 28 como o dia mundial de luta contra hepatites virais.

 

“Nós estamos em um mês de campanha aqui no Serviço de Assistência Especializada em HIV e Hepatites Virais (SAE), então será um mês em que todos os dias de manhã, das 7h às 13h, nós estaremos realizando testes. Portanto, quem deseja realizar os testes pode procurar o SAE, localizado na Rua Porto Velho, nº 2323, bairro Casa Preta, ou a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima de sua residência”, disse Luciana Santana, enfermeira do SAE

Segundo Luciana, durante o ano, é extremamente necessário as pessoas procurarem uma UBS, pois lá é feito o atendimento primário. Ela também ressaltou a importância de falar sobre a transmissão vertical, pois quando a gestante tem diagnóstico de hepatite, ela precisa fazer o acompanhamento para que a criança não nasça com a doença.

 

As hepatites virais são infecções que atingem o fígado, são transmitidas sexualmente ou quando entram em contato com o sangue. É necessário ficar atento(a) às formas de prevenção: usar preservativo, assim como fazer a vacinação, além de fazer os testes rápidos. O mais indicado é que toda e qualquer pessoa que tenha, em algum momento, sido exposta ao vírus, realize os testes rápidos na UBS.

 

Os testes rápidos são feitos nas unidades básicas de saúde. Caso ocorra alguma alteração, o profissional médico ou enfermeiro que estiver executando os testes, pedirá novos exames para fazer um diagnóstico com mais precisão. Após a conclusão, o portador de hepatite é encaminhado ao SAE, local onde será feito o acompanhamento do paciente. No acompanhamento, são realizados outros exames para saber qual é a carga viral do paciente. Após, são disponibilizadas medicações para o tratamento.

 

“É preciso observar no cartão de vacinas se há três vacinas de hepatite B, pois é uma doença que não tem cura, mas existe tratamento. Já a hepatite C não tem vacina, mas tem tratamento que ajuda o paciente a evoluir para a cura. Há situações em que a pessoa precisa de medicação, a qual é disponibilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) gratuitamente”, ressaltou Luciana Santana, enfermeira do SAE.

 

Luciana, disse que existem situações em que não se precisa da medicação, mas, para quem já teve ou tem hepatite, é importante continuar acompanhando ao longo da vida para saber como o fígado está.

 

Texto:

Assessoria

Foto:

Divulgação

Enquete

PLACA MERCOSUL : MODELO DEVE TER NOVA MUDANÇA COM NOMES DE ESTADOS E CIDADES, VOCÊ CONCORDA?

42
18
Resultados
© 2023 Central Rondonia - Todos os direitos reservados
desenvolvimento Adilson